2ª Corrida pela vida HCP – Vamos nessa?

posted in: Corrida | 0

Recife será sede, no próximo dia 13, da 2ª Corrida pela Vida, do Hospital do Câncer de Pernambuco. Muito mais do que uma oportunidade de fazer aquela corridinha bacana, essa prova é especial pelo propósito que ela carrega: estruturar um centro de diagnóstico próprio. Todo valor arrecadado com a venda dos kits irá para a construção deste centro, que pretende fazer a diferença no tratamento dos pacientes que enfrentam a difícil batalha contra o câncer.
A 2ª Corrida pela Vida vai ser a principal atração do “Domingo na Arena”, dentro da Arena Pernambuco. Os inscritos poderão correr 5k ou 10k, nas modalidades masculina e feminina, e a largada está marcada para as 8h.
As inscrições podem ser feitas no site www.corre10.com.br até quarta-feira, dia 09. Eu estarei lá! Bora?

Vídeo novo no ar! 100 km do frio, família e o Back to Back

posted in: Corrida, Víideo | 0

Certamente essa está entre as 3 provas mais emocionantes que participei. Durante meses me preparei para fazer uma excelente ultramaratona porém, alguns contratempos aconteceram e me fizeram pensar em desistir. Veja mais no post que fiz sobre a prova e o back to back.

No vídeo abaixo falo um pouco sobre a prova, do back to back de ter cruzado a linha de chegada com a família e, claro, tem o vídeo da prova.

Se você gostou, dá um like e se inscreve no canal, tá?

Obrigado e até a próxima.

:)

Ultramaratona de 100 km e o Back to Back conquistado

posted in: Corrida | 2

img_4244

img_4061

No último sábado (22/10), ocorreu a 5ª edição da ultramaratona de 100 km do Frio. No ano passado, tive a oportunidade correr pela primeira vez essa belíssima e desafiante prova. Veja aqui.

A organização da prova premia com um troféu extra todos que fazem solo pelas duas primeiras vezes consecutivas. A premiação se chama “Back to back”, da mesma forma como acontece na Comrades. Essa era a minha maior motivação para realizar pela segunda vez consecutiva a prova. Se eu a concluísse novamente, ganharia o troféu. :)

Cá pra nós, a organização da prova merece um belo troféu. Muito bem organizada, planejada e executada. Esta é uma utramaratona que proporciona uma experiência incrível para que decide corrê-la.

img_4080

Durante os últimos meses, vim me preparando para realizar uma prova “massa”. Estava bastante confiante, pois tinha feito o longão de 55 km e 60 km muito bem. Estava com boas perspectivas. Porém, no começo de outubro, faltando duas semanas e meia para a data da prova comecei a sentir uma dor no solado do pé esquerdo. Achei que fosse besteira. Subestimei.

O diagnóstico foi fascite plantar. Talvez essa seja a lesão mais complicada para um corredor tratar. Durante dias, mal conseguia andar sem mancar. Parei de correr durante 8 dias, mas continuei nadando, pedalando, intensifiquei o tratamento e a melhora foi boa.  É claro que pensei em desistir. Mas eu não desistiria sem tentar. Estava me preparando psicologicamente para desistir durante a prova caso a dor aparecesse.

O que me deixava preocupado era principalmente a queda do condicionamento físico. Estava muito confiante na realização de uma excelente prova e, de uma hora para outra, iria lutar para “apenas” concluir a ultramaratona. :/

img_4049

Na sexta (21/10), em vez de estar na estrada a caminho de Garanhuns para deixar a família no local da chegada da prova, eu estava no hospital com minha filha. Apenas às 17h, quase 4 horas após a nossa chegada na emergência, fomos liberados. As coisas pareciam conspirar contra. Ou seria para eu desistir ou arrumar forças para concluir a prova.

Cheguei em Caruaru às 22h40. Fui dormir quase meia-noite e às 2h10 eu já estava me arrumando para o café da manhã do hotel. Sim, eu não tinha almoçado nem jantado. Enquanto estava no hospital com minha filha comi apenas uma tapioca e tomei um cafezinho. O café da manhã no hotel começou às 3h e às 3h30 seguimos para o local da largada.

img_4054

Meu café da manhã foi simples. Comi ovos mexidos com carne de sol acebolada e uma xícara de café puro (sem adoçar). Com a low carb, tenho percebido e vivenciado que não faz muito sentido encher o “bucho” pra correr. Mas isso é outra história. :)

img_4045

Para a alimentação aos longo dos 100 km levei azeitonas, chocolate 85%, trufas 70%, bananas, castanhas de caju, óleo de coco, mel e bastante água. Mas não consumi metade disso. Por exemplo, não consumi nenhum mel e a barra de chocolate 85% voltou lacrada pra casa.

Às 4h foi dada a largada. Eu estava angustiado e preocupado. Não estava concentrado na prova, mas no pé. Logo passaram 5, 10 15 km e o pé não doía. Pouco antes das 5h15 o dia já estava claro e a paisagem ajudou a distrair um pouco.

img_4213

img_4309

No quilômetro 23, nós saímos da BR-232 e entramos na BR-423. É a partir daí que a brincadeira começa. É praticamente um “retão” até Garanhuns com dezenas de subidas e descidas. Antes de chegar em Ganranhuns, passamos por São Caetano, Cachoeirinha, Lajedo e Jupi.

img_4243

Uma das piores partes da prova, na minha opinião, é o começo da BR-423. Como corremos pelo acostamento, o piso não é tão liso. É um tipo de piche com pedrinhas pontiagudas e o acostamento tem uma inclinação mais acentuada. É chato, mas não exige sacrifício.

Até o km 40, eu consumi apenas água. Foi aí que comi uma trufinha 70%. Mas, mesmo me sentindo muito bem, eu ainda continuava focado no pé e não na prova.

img_4211 img_4239

Próximo ao km 55, encontrei Paulinho, um colega da Acorja. Seguimos juntos até o final. Foi nesse ponto que, ao meu ver, o calor e o sol começaram a incomodar mais. Apesar do céu com bastante nuvens, o calor era forte e não tinha vento.

Quando passei da metade da prova bem fisicamente e o pé não doía, comecei a ter mais confiança na conclusão do percurso. Terminaria de qualquer forma. Mesmo que precisasse caminhar 45 km.

No km 60, comi uma banana. E a partir daqui, a cada 4 km (mais ou menos) eu consumia um pouco de azeitona e em intervalos aleatórios comia uma trufinha 70% ou castanhas.

img_4206 img_4214

Logo chegou o km 75, 80, 90 e a certeza que o Back to Back estava garantido. Muitas ladeiras, calor intenso mas nada do pé incomodar. Nenhum sinal de cãibra. A musculatura incomodava sim, principalmente a coxa direita. Porém, no geral, ainda estava fisicamente muito melhor que no ano passado.

Os últimos quilômetros pareciam intermináveis. A ansiedade de cruzar a linha de chegada e encontrar com a família era enorme. Sim, eu tentava conter a emoção desde o primeiro km. Um filme passava na cabeça toda hora. Aqueles meses de treino intenso, noites pouco dormidas, semanas cansativas, lesão no pé, medo de não concluir, a incerteza da conquista do Back to Back e as dezenas de pessoas que torciam por mim, que mandaram mensagens de incentivo e minha família que estava lá na chegada me esperando. Tanta coisa passava na cabeça.

A última subida do percurso estava entre o km 97 e 98. Que ladeira. Interminável. E com aquele sol…

img_4268 img_4264

img_4266

Quando cheguei na reta final encontrei Cynthia e Júlia. Juju, que na véspera estava no hospital fazendo exames, colocou a medalha em meu pescoço mesmo antes de cruzarmos a linha de chegada. Corremos os últimos metros Juntos, na verdade corremos toda a prova juntos. Elas estavam comigo todo o tempo. Eram a força que eu precisava, a motivação que me não me fez desistir.

Juntos, cruzamos a linha de chegada.

<3

Meu Garmin:

Altimetria:

captura-de-tela-2016-10-30-as-11-30-35

Veja o resultado da prova:

Longão de 35 km na BR 408

posted in: Treino | 0

A jornada de preparação para a ultramaratona de 100 km continua. Em julho fiz um longão de 55 km e em agosto fiz outro de 60 km. No último sábado (24/09) pretendia fazer mais um de 60 km, mas alguns imprevistos não me permitiram chegar no treino de 4 horas da madrugada para largar com os “loucos”, então fui ao treino de 6 horas para sair com os normais. hahahaha

O treino das 6 horas seria de 30 km, então como não pude ir mais cedo decidi fazer um treino um pouco mais forte e ainda aumentei a quilometragem em 5 km. Totalizando 35 km.

O treino foi na BR 408, e lá a altimetria é bem “chatinha”. Acho que não encontramos nenhum trecho que tenha 500 metro plano. Sempre estamos subindo ou descendo. E com a largada sendo de 6 horas, em pouco tempo o sol começa a incomodar.

Mesmo não fazendo o longão de 60 km, estou feliz com os treinos realizados. Minha expectativa é terminar fisicamente melhor que no ano passado. Me sinto mais preparado fisicamente e psicologicamente. Mas provas longas são muito imprevisíveis. Porém, vamos em frente que ainda temos muito chão pra percorrer. :)

Do sábado 17/09 ao sábado 24/09 fiz um volume de 109 km.  Foi assim:

  • No sábado 17/09: 43 km;
  • Na terça 20/09: 14 km;
  • Na quinta 22/09: 17 km;
  • No sábado 24/09: 35 km.

A prova será no dia 22 de outubro. Sairemos de Caruaru e seguiremos para Garanhuns. Saiba tudo sobre a ultramaratona de 100 km do frio aqui.

Até a próxima. ;)

A 4ª Corrida Eu Amo Recife foi massa demais!

posted in: Corrida | 0

No último sábado, 17/10, meu irmão, Filipe Burgos, eu e pouco mais de 3 mil pessoas participamos da 4ª edição da bela corrida Eu Amo Recife.

Na terceira edição, tive a oportunidade de acompanhar o meu irmão em sua primeira corrida de rua. Registrei em vídeo seus primeiros 5 km. Veja aqui.

A prova desse ano teve um sabor especial. Após uma bela campanha realizada pelo Sou Corredor, meu irmão ganhou uma cadeira de atletismo para poder correr a prova que desejar. E, no sábado, ele inaugurou a cadeira e ainda conseguiu ir ao pódio.

image

pid16car0065 nlb16cear0608

imageParabéns, meu irmão. Você é pura inspiração.

Até a próxima. ;)

 

 

Desafio de 50 km da Chapada do Araripe

posted in: Corrida | 0

Nos anos de 2015 e 2016 tive a inesquecível oportunidade de participar do grande Desafio de 50 km da Chapada do Araripe.

Escolhi a primeira edição, em 2015, para realizar a minha primeira ultramaratona (veja aqui).  E esse negócio viciou, então voltei novamente em 2016 pra correr os 50 km mais uma vez. Veja aqui.

Logo que terminamos a prova começa a ansiedade e curiosidade sobre a próxima edição da prova, que por sinal, Karina e Vítor realizam com perfeição. A satisfação dos participantes é unânime.

Ontem realizamos um bate papo bem bacana com os idealizadores e realizadores, Karina e Vítor, além de alguns participantes. Foi quase 1 hora de conversa. Dá uma olhadinha.

Se você gostar, dá um joinha no vídeo e assina o canal, tá?

Até mais. ;)

Longão na Serra das Russas

posted in: Sem Categoria | 1

image Todo mundo tem preferência por algum tipo de treino. Seja ritmado, intervalado, correr em areia fofa, ladeiras etc. Um dos treinos que o pessoal da Acorja (incluindo eu) mais curte é o da Serra das Russas. Normalmente fazendo longões por lá. 21, 25, 27, 30 ou 32 km. O que esse lugar tem de especial é a altimetria. O treino já começa com 9 km subindo. Bom demais não é? :) image Mas não é só isso que fascina os corredores. A bela paisagem e o clima (geralmente) ameno deixam as condições do treino bem favoráveis. E, claro, a companhia dos “acorjeanos” que dispensa comentários. :)

No último sábado fizemos um longão por lá. Dá uma conferia do vídeo: Até a próxima. :)

Track&Field Shopping Recife 04/09/2016

posted in: Corrida | 2

Ontem, domingo 04/09 participei da Track&Field no Shopping Recife nos 10 km. Acho que fazia aproximadamente 2 anos que eu não corria uma prova de 10 km forte para fazer recorde pessoal.

image

Escolhi a Track&Field com esse objetivo porque é uma prova que proporciona uma experiência diferente do que estamos acostumados, principalmente aqui em Recife. A maioria das provas por aqui são sempre no mesmo lugar, no centro do Recife.

Por causa do calor a largada foi antecipada para 6:30. Excelente! As corridas por aqui normalmente acontecem depois das 7 horas. Pura tortura.

image

Apesar de ter feito um longão de 20 km no sábado (véspera da prova), queria correr forte os 10 km da Track&Field, e assim o fiz. Não queria “quebrar”, então fui num ritmo constante do começo ao fim. Foi tão bom que fiz minha melhor marca nos 10 km. Terminei a prova com o tempo de 39:10 (tempo oficial) e rendeu o 5º lugar geral masculino. :D

image

Evento bem sinalizado e os corredores foram muito bem assistidos. Postos de hidratação muito bem distribuídos e abastecidos.

Resultados da prova: http://www.tfrunseries.com.br/resultados.php

Meu garmin:

Corri a prova com o novo GOrun 4-2016. Ele é incrivelmente leve, confortável, flexível e proporciona uma resposta incrível! Recomendo! ;)

Foi massa demais. Até a próxima. :)

1 2 3 4 5 6 14